2186312802.8dd5717.ad2885031af548349667071fa93181dd

Confira 6 dicas para poupar dinheiro e adquirir um imóvel

Poupar dinheiro é o primeiro pensamento que vem à mente das pessoas que pretendem comprar um imóvel. Por mais que existam opções de financiamento imobiliário com taxas de juros atrativas, sempre que possível, é recomendado que o interessado tenha certa quantia em dinheiro para dar entrada nesse bem material.

Além disso, muitos programas de habitação ou financiamentos exigem um determinado percentual sobre o valor do imóvel pretendido para que sirva como entrada do pagamento.

Guardar certa quantia pode ser uma tarefa extremamente complicada para algumas pessoas, principalmente para aquelas que já possuem uma família constituída. Por isso, o objetivo deste artigo é apresentar 6 dicas para você conseguir economizar para adquirir um imóvel. Confira!

1. Realize um planejamento

Tudo sempre deve começar com um planejamento. Quando você inicia uma ação com objetivos financeiros sem uma noção dos passos que deverá tomar, certamente não conseguirá obter sucesso e alcançar o resultado pretendido.

Você precisa definir a quantidade de dinheiro que vai poupar a cada mês e, principalmente, durante quanto tempo vai realizar essa ação. Além disso, uma dica valiosa é ter em mente que tipo de bem você pretende adquirir.

Isso não quer dizer que você deverá, desde já, escolher a casa, lote ou apartamento que vai comprar, mas sim que precisa ter uma noção aproximada do que deseja. Tendo isso em mente, será possível traçar um planejamento com as metas a serem cumpridas de modo que o seu objetivo principal — guardar dinheiro para comprar um imóvel — seja alcançado.

Existem duas frases populares que traduzem bem a necessidade de um planejamento. A primeira diz que “quem falha em planejar está planejando falhar” e a segunda passa a mensagem de que “para quem não sabe aonde quer chegar, qualquer caminho é o correto”.

Iniciar um projeto que envolva dinheiro sem um planejamento — mínimo, que seja — é como andar em um solo irregular com os olhos vendados: você nunca sabe o que pode vir à frente. Os maiores fracassos das pessoas que tentam economizar é a falta de planejamento. Não seja uma delas!

2. Pague dívidas atuais

Antes de pensar em acumular dinheiro para comprar uma propriedade, é preciso “arrumar a casa”. Quem possui muitas dívidas dificilmente conseguirá poupar, uma vez que necessita pagar esses credores para evitar problemas maiores.

Assim, não adianta iniciar uma fase de poupança em um momento em que as dívidas comprometem grande parte do seu orçamento. Quando falamos em dívidas, não estamos tratando apenas daquelas contas altas, mas também de outras que poderiam ter sido evitadas, como aquela compra em uma promoção ou uma viagem mal planejada que poderia ter acontecido em outro momento.

Isso não quer dizer que você deverá parar de gastar e viver apenas em função de poupar dinheiro para realizar a compra de um imóvel, porém, você precisará definir estratégias para realizar essa ação e a quitação de dívidas é uma das principais.

3. Realize cortes estratégicos

Seguindo o que foi brevemente mencionado no item anterior, você não precisará deixar de sair para se divertir com a família, realizar passeios ou viagens para guardar dinheiro com objetivo de adquirir a casa própria. Tudo pode ser perfeitamente ajustado e inserido em seu orçamento.

Se você fizer uma análise, mesmo que superficial, vai encontrar uma série de gastos que poderiam ser cortados e que não prejudicaria outras áreas da sua vida — como um pacote de TV a cabo pouco utilizado, gastos supérfluos com alimentação, compras feitas por impulso e outras despesas inúteis.

Ao realizar cortes de forma estratégica, você será capaz de manter alguns gastos essenciais relacionados ao lazer e qualidade de vida sua e de sua família, bem como economizar para a concretização do objetivo de comprar um imóvel.

4. Constitua uma reserva para emergências

Em um momento tão incerto repleto de instabilidades e desarranjos econômicos, constituir uma reserva para se amparar em situações de emergências é fundamental. Além das questões que envolvem a economia, outras situações podem ocorrer, como doenças ou outros imprevistos que prejudiquem as finanças da família.

Nesse caso, você deve criar uma reserva por dois motivos simples. O primeiro é para que o acontecimento infortúnio não lhe obrigue a mexer no dinheiro que está sendo reservado para a compra do imóvel. Já o segundo é para que você não seja obrigado a constituir dívidas, o que prejudicaria os seus planos.

5. Aplique o dinheiro adequadamente

O dinheiro que você reservará durante o processo de economizar deverá ser armazenado em um local seguro e que gere certo retorno financeiro. Sem dúvidas, o primeiro pensamento que vem à mente quando se fala em guardar dinheiro é a poupança.

Não seria uma alternativa ruim, visto que essa modalidade de aplicação é bastante segura. No entanto, o retorno sobre o capital depositado chega a ser insignificante. Os investidores mais experientes afirmam, inclusive, que existem situações em que você pode até mesmo perder dinheiro.

Assim, saber aplicar os valores economizados corretamente é um passo fundamental para quem precisa juntar dinheiro para conseguir, finalmente, comprar a casa própria. Uma dica é você escolher algum investimento de baixo risco em algum banco sólido existente no Brasil.

Existem várias aplicações que proporcionam um risco muito baixo, considerado por alguns investidores quase inexistentes, e que proporcionam uma remuneração em juros maior que a poupança. Tudo o que você precisa fazer é pesquisar sobre esses ativos financeiros em sua agência bancária.

6. Seja cuidadoso com o cartão de crédito

Sem dúvidas, o maior vilão de toda estratégia de acumulação de dinheiro é o cartão de crédito. Ele dá uma falsa sensação de poder de compra e, por mais que essa questão seja amplamente divulgada e as pessoas estarem cientes disso, muitas insistem em utilizar essa forma de pagamento mesmo sabendo que podem não ter o dinheiro para quitar a fatura.

Os juros cobrados pelas operadoras de cartão de crédito, geralmente, são extremamente altos. Constantemente é possível encontrar pessoas que, simplesmente, não conseguem pagar as faturas de seus cartões justamente pela ocorrência desses altos percentuais incidentes sobre esse tipo de operação.

O cartão de crédito pode ser um aliado para pessoas controladas que sabem utilizá-lo e, inclusive, ser utilizado em momentos de necessidade extrema ou em situações em que seja necessário realizar um desembolso e não se tem o valor.

Com essas dicas simples e bastante empenho você já estará pronto para começar a poupar dinheiro para adquirir o imóvel dos seus sonhos. Não é tão difícil quanto parece, não é mesmo?

E então, gostou deste artigo? Agora, que tal continuar estudando sobre finanças pessoal e familiar? Separamos um artigo especial para você e nele você encontrará 5 dicas para realizar o planejamento financeiro do casal.