2186312802.8dd5717.ad2885031af548349667071fa93181dd

Financiamento direto pela construtora: vale a pena?

Na hora de investir em um imóvel, existem várias opções de financiamento no mercado. A melhor opção vai depender de alguns fatores, como o valor da entrada, taxas de juros e do perfil do consumidor. As opções mais comuns são: consórcio, financiamento bancário ou financiamento direto pela construtora.

Mas afinal, quais são as vantagens do financiamento direto pela construtora?

 

Aprovação de cadastro

Instituições financeiras, em geral, exigem uma série de pré-requisitos que dificultam a aprovação do cadastro do comprador. Nos financiamentos bancários, a aprovação de cadastro depende dessa aprovação. Nos consórcios, essa avaliação costuma acontecer somente após contemplação da quota, mas é pré-requisito para pagamento da carta de crédito.
O financiamento direto pela construtora, normalmente, é menos burocrático. É exigida uma menor quantidade de documentos e o processo de aprovação é mais ágil. Uma grande vantagem para quem está com pressa.

Taxas de Juros

As taxas de juros variam muito. A mesma modalidade de financiamento tem taxas diferentes de acordo com a instituição financeira. O mesmo acontece no financiamento direto pela construtora. Assim, é preciso ficar atento às taxas específicas de cada construtora. Existem casos onde a construtora oferece parcelamento sem juros ou com correções no valor do contrato de acordo com o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção).

Prazos de pagamento

A maior diferença entre o financiamento direto pela construtora e o financiamento bancário, provavelmente, é o prazo de pagamento e o número de parcelas oferecido. As instituições financeira costumam oferecer prazos mais dilatados, que chegam a 35 anos, ou 420 parcelas. Dificilmente uma construtora trabalhará com esse tipo de prazo.
Por outro lado, prazos mais curtos significam menor incidência de juros. Por isso é importante que o consumidor avalie sua capacidade de pagamento mensal. Caso seja possível se comprometer com uma parcela mais alta, um prazo menor é um bom caminho a seguir. Construtoras e incorporadoras costumam oferecer financiamentos em até 120 parcelas, o que já é um prazo interessante.

Entrada financiada

Muitas construtoras financiam parte do pagamento, o que pode ser considerado como um parcelamento da entrada. Especialmente para empreendimento adquiridos na planta, pode ser uma grande vantagem. O consumidor efetua pagamentos parcelados diretamente para a construtora durante a obra. Após a entrega das chaves, o saldo restando do contrato pode ser quitado ou financiado por algum banco que, tradicionalmente, exige o pagamento de uma entrada para liberar o crédito.

Momento do mercado

A escolha pela melhor forma de financiamento depende muito do momento do mercado. Atualmente, a oferta de crédito bancário encontra-se bastante restrita. Alguns bancos chegam a exigir o pagamento de até 50% de entrada, dependendo do valor do imóvel. Essas condições favorecem o financiamento direto pela construtora, que muitas vezes não exige entrada alguma, como é o caso dos lotes do Condomínio Vale Imperial, que podem ser financiados em até 120 parcelas sem entrada.
Avalie suas condições, pesquise bastante e faça uma escolha consciente, que caiba no seu planejamento financeiro.

Quer mais ler mais conteúdos como esse? Assine nossa newsletter e fique ligado em nossas redes sociais. E se tiver dúvidas ou sugestões, escreva um comentário!

Comments (1):

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *